Go to content

Main menu:

Formação que já ministrei nas Tropas Pára-quedistas

Sou pára-quedista

Preparação Militar Geral (A chamada "Recruta")

A recruta é a instrução básica que se adquire assim que se incorpora. É uma fase de alguma incerteza e inquietude, pois há uma adaptaçao forçada ao ambiente militar, às regras e à disciplina, à obediência e à subordinação.

Existe um despir da individualidade, pois aprende-se a viver dentro e dependendo de um grupo. Adquirem-se valores humanos muito nobres como a camaradagem, o espírito de sacrifício e o espírito de corpo.

Na foto ao lado, os formandos apresentam-se para receberem o passaporte que lhes permitirá descansar após algumas semanas de esforço. (Clique na foto para visualizar em tamanho grande)

Curso de Cabo

Este curso visa formar futuros comandantes de esquadra. Após o terminus do curso com sucesso, os Soldados são promovidos ao posto de 2º Cabo e posteriormente a 1º Cabo. Após alguns anos de contrato poderão ainda ascender a Cabo-adjunto.

É um curso muito exigente.

Na foto ao lado os instrutores responsáveis pela instrução. Da esquerda para a direita: 2º Sargentos Mateus, Morais, Marques e Mouro (os 4 M's). (Clique na foto para visualizar em tamanho grande)

Curso de Formação Sargentos Milicianos

Este curso visa formar futuros segundos-furriéis, portanto graduados da classe de Sargentos.

É um curso muito exigente.

Na foto um dos cursos de formação de sargentos milicianos que ministrei, juntamente com o 2º Sargento Marques e o Tenente Marques (Clique na foto para visualizar em tamanho grande)

Curso de Formação Oficiais Milicianos

Este curso visa formar futuros Aspirante-a-Oficial portanto graduados da classe de Oficial.

É um curso muito exigente.

Na foto um dos cursos de formação de oficiais milicianos que ministrei. Na altura frequentavam a semanada de campo na Jardoa. Foi tirada antes da cerimóniado astear da Bandeira. (Clique na foto para visualizar em tamanho grande)

Curso de pára-quedismo

Este curso visa formar futuros pára-quedistas

Algumas fotos tiradas durante a formação de pára-quedismo (Clique na fotos para visualizar em tamanho grande)

Durante uma sessão de toros. O lenço preto na cabeça significa que é o "enterro" dos toros, isto é: a última sessão que antecede o inicio dos saltos.

A parte da revista que compõe o cerimonial. Todos os dias, de manhã e à tarde, 20 vezes por semana.

No vídeo à direita, algumas imagens do 190º Curso de pára-quedismo, do qual fui instrutor nas sessões de toros.

Precursor aeroterrestre e Auxiliar de precursor aeroterrestre

1
. A necessidade sentida pelos pára-quedistas em colmatar uma vulnerabilidade existente na condução e apoio a operações aerotransportadas, levou á decisão da criação de uma especialidade com pessoal devidamente qualificado para assistir a navegação e a aterragem de aeronaves, lançamento e reorganização de pessoal e material.

2
. Em Portugal os cursos de Precursores tiveram inicio em 1977, tendo sido constituído um centro de Precursores com a missão de operar zonas de lançamento/aterragem, em proveito das componentes operacional e territorial.

3
. Uma  operação  aerotransportada  implica sempre a utilização de elevado numero de aeronaves. Para o controlo das acções aéreas nas fases iniciais da  operação, é  necessária a existência de pessoal especializado “ PRECURSORES AEROTERRESTRES “ que, tendo acompanhado o escalão de assalto ou previamente infiltrados, controlem o tráfego aéreo na área do objectivo.

4
. No Exército Português, à semelhança de outros Exércitos, os Precursores Aeroterrestres são pára-quedistas muito experientes e especializados, treinados para serem capazes de se infiltrar por diversos meios, actuar e sobreviver em situações de elevado risco.

5
. As Operações Aerotransportadas consistem no deslocamento por ar, desembarque por aterragem ou  lançamento em pára-quedas, com emprego na área/objectivo de forças de combate e respectivos meios de apoio logístico, capazes de conduzirem com relativa autonomia uma operação de duração apreciável, com vista ao cumprimento de uma missão de natureza táctica ou estratégica.

6. Missões dos Precursores:

Operar zonas de Lançamento Pessoal/Material
Operar Zonas de Desembarque Aéreo
Assistir aeronaves na condução de missões de Apoio Aéreo Ofensivo e Luta Aérea
Conduzir missões de acção directa com carácter limitado

Precursor aeroterrestre operando uma Zona de Lançamento de pára-quedistas

Precursor aeroterrestre operando uma Zona de Lançamento de pára-quedistas

Precursor executando a saída pela rampa do C130 Hércules, num salto de abertura automática para a água.

A formação em Precursor é extremamente exigente e solicita, à partida, os seguintes requisitos:

  • Possuir o Curso de Pára-quedismo;

  • Possuir o Curso de Operações Aeroterrestres;

  • Possuir o Curso de Instrutores de Pára-quedismo;

  • Ser proposto pelo Comandante da U/E/O à frequência da qualificação.

  • Ser oficialmente nomeado pela Direcção de Administração e Recursos Humanos.

  • Ser considerado apto nas Provas de admissão médicas, psicotécnicas e físicas.


O vídeo à direita mostra as provas físicas de aptidão para a frequência do curso de Precursor Aeroterrestre.


Quer saber mais sobre os Precursores Aeroterrestres?
Veja no Site Oficial das Tropas Pára-quedistas

As disciplinas ministradas durante o curso são as seguintes:
Armamento, Tiro, Transmissões, Topografia, Sapadores, Reconhecimento, Patrulhas, Luta próxima anti-carro, Socorrismo, Técnica de transposição de obstáculos, Nautismo, Sobrevivência, Combate em áreas urbanizadas, Fuga e evasão, Educação física militar, Fotografia aérea, Meteorologia, Tráfego aéreo, Material dos Precursores, Organização e emprego dos Precursores, Lançamentos e Exercício final.

Após a conclusão do curso com sucesso, o Precursor Aeroterrestre poder-se-á candidatar à frequência do Curso de Queda Livre Operacional, mais conhecido pelo curso de SOGA (S
altador Operacional a Grande Altitude). Neste curso é possível executar saltos de abertura manual até uma altura de 30000 pés, cerca de 10 quilómetros, sendo necessário o uso de sistemas auxiliares de oxigénio.

Back to content | Back to main menu